Quem sou eu

Minha foto
Em 2009 fui diagnosticado com uma doença do neurônio motor (DNM) Trata-se de uma doença neuromuscular, progressiva, degenerativa e sem cura. Mesmo assim insisto que vale a pena viver e lutar para que pesquisas, tratamentos paliativos, novos tratamentos cheguem ao Brasil no tempo + breve possível, alem do respeito no cumprimento dos nossos direitos. .

24 de jan de 2016

Treeway: acelerando o desenvolvimento de novas terapias na ELA


A Treeway  é uma empresa de biotecnologia  com a missão de desenvolver terapias para a cura da ELA. Ela foi fundada em 2012 por dois pacientes de ELA. A empresa estabeleceu um forte compromisso  com os pacientes dentro do mercado-alvo. A Treeway colabora estreitamente com a pesquisa (global) e institutos clínicos, e está envolvida em estabelecer os fundamentos para a TRICALS, um instituto europeu para a realização de ensaios clínicos especificamente em ELA.

 Bernard Muller CEO  da Treeway
   ao lado do brasileiro  Sthanley Abdão
Dois fundadores da Treeway são os iniciadores da maior iniciativa de pesquisa do mundo dedicada a descobrir a causa genética da ELA. Embora a Treeway seja uma empresa “start-up”, nós estabelecemos relações com pesquisadores da ELA e com  médicos globalmente. 


Nossa visão
O mundo de hoje é caracterizado por acesso instantâneo a informações e interconectividade quase ilimitada. Devido a isso, nós encaramos os pacientes como   desempenhadores de papéis de liderança na busca da cura. Os pacientes, os cientistas e a indústria farmacêutica vão unir forças para traduzir descobertas em tratamentos, minimizando o tempo de chegada ao  mercado

Nossa missão
A nossa missão é  erradicar a ELA da face da terra. Nós nos esforçamos para alcançar este objetivo, acelerando a pesquisa da ELA em colaboração com centros acadêmicos de pesquisa ao redor do mundo. Nosso objetivo é ter novas terapias no mercado o mais rapidamente possível. 

A ELA  ainda é pouco compreendida. Ao compartilhar dados com outras empresas e centros de pesquisa,  estamos trabalhando duro para revelar os caminhos da ELA.  Ensaios clínicos falharam devido à complexidade da doença. Acreditamos que os ensaios são necessários, mas são muito lentos, burocráticos e eticamente difíceis para doentes confrontados com uma esperança de vida encurtada.

Os pacientes sabem melhor o que sentem, tais como se um medicamento está funcionando ou não. O efeito do placebo cessou sua  importância. No mundo de hoje a informação viaja à velocidade da luz, para que as pessoas sejam informadas sobre fracassos e sucessos em um instante. Pacientes dispõem de informações importantes, essas informações no entanto,  muitas vezes não está sendo usado por pesquisadores. Nosso credo é, portanto: o desenvolvimento da terapia pelos pacientes para os pacientes.

ADORE
A  TW001(edaravona oral) foi testada em doses únicas e múltiplas em estudos Fase I em voluntários saudáveis ​​e em pacientes com ELA. Nos dois estudos clínicos de Fase I, a TW001 demonstrou ser segura,  bem tolerada e adequada na formulação oral. Com base nestes estudos, agora estamos com o objetivo de iniciar um estudo Fase 2/3 (ADORE – Estudo de  Desaceleração da ELA com edaravona Oral) em 2016.
.
Fonte:
Tradutor Google
Texto editado
Imagens meramente ilustrativas