Quem sou eu

Minha foto
Em 2009 fui diagnosticado com uma doença do neurônio motor (DNM) Trata-se de uma doença neuromuscular, progressiva, degenerativa e sem cura. Mesmo assim insisto que vale a pena viver e lutar para que pesquisas, tratamentos paliativos, novos tratamentos cheguem ao Brasil no tempo + breve possível, alem do respeito no cumprimento dos nossos direitos. .

5 de mai de 2011

Em busca do novo mundo (Parte 2)


                      

Por Antonio Jorge de melo
      Enquanto os portugueses exploravam a costa africana e descobriam o caminho para a Índia, os espanhóis, através de Cristóvão Colombo, chegavam à América (1492).
A audaciosa viagem de Colombo tinha por objetivo atingir a China através do Atlântico. Nesse sentido, a América era um obstáculo e, de imediato, não despertou interesse da Coroa espanhola. O mesmo aconteceu com o Brasil, em 1500, quando aqui chegou a esquadra de Pedro Álvares Cabral.
     Com a entrada em cena da Espanha, teve início uma disputa dos domínios de além-mar com Portugal. O acordo foi estabelecido com o Tratado de Tordesilhas (1494), que dividiu os domínios respectivos entre os dois Estados. Por esse motivo, resolveram procurar um novo caminho para as Índias, viajando pelo Oceano Atlântico, contornando o sul da África. Começou nesse período a época das Grandes Navegações. Contribuíram para o desenvolvimento das navegações a procura de um novo caminho para as Índias, e as invenções: caravela, bússola, astrolábio, pólvora, papel e imprensa.
     Algumas invenções contribuíram para o desenvolvimento do comércio, possibilitando a realização de longas viagens marítimas. Entre essas invenções, temos a bússola, as caravelas, o astrolábio, a pólvora, o papel e a imprensa. 
     Esse pequeno resumo sobre o o início das grandes navegações nos reporta a alguns pontos que merecem destaque. As grandes navegações expandiram os limites do mundo conhecido até então. Mares nunca antes navegados, terras, povos, flora e fauna começaram a ser descobertas pelos europeus. E muitas crenças passadas de geração a geração, foram conferidas, confirmadas, ou desmentidas. Eram crenças de que os oceanos eram povoados por animais gigantescos ou que em outros lugares habitavam seres estranhos e perigosos. Ou que a terra poderia acabar a qualquer momento no meio do oceano, o que faria os navios caírem no nada. O motivo poderoso que fez alguns europeus desafiar o desconhecido, enfrentando medo, foi a necessidade de encontrar um novo caminho para se chegar às regiões produtoras de especiarias, de sedas, de porcelana, de ouro, enfim, da riqueza.
     No dia em que fui diagnosticado como portador de ELA, a minha frágil e primitiva nau deu início a uma  uma longa e tenebrosa jornada marítima em busca de um  novo e desconhecido mundo. Não me faltaram pensamentos assombrosos sobre as serpentes do mar, animais gigantescos ou seres estranhos e perigosos, ou que a terra poderia acabar a qualquer momento no meio do oceano, o que faria minha nau sucumbir rapidamente.Tambem pensei nos temporais, nas calmarias, na solidão e no isolamento que esses mares me causariam. Pensei na fome e na sede, pensei na saudade, pensei na vida e na morte.   
      Passado  todo esse tempo desde que minha nau levantou âncoras e partiu de um porto aparentemente calmo e seguro aonde eu estava, vi que tudo era verdade. Não era lenda o que se falava a respeito desses mares. Nesse tempo tenho me deparado com serpentes do mar, animais gigantescos, seres estranhos e perigosos as vezes me assombram,  e meu mundo parece que vai acabar a qualquer momento no meio do oceano, e que  minha nau vai sucumbir rapidamente.Tambem tenho visto os  temporais solapando as águas, as calmarias enlouquecedoras, a solidão de um mar infinito e sem luar e o isolamento que esses mares me causam. Sinto fome e  sede, sinto tanta saudade do que eu fazia sem saber que eram coisas tão preciosas para mim. Penso na vida, penso na morte. Mas assim como está registrado na história das grandes navegações, almejo dia e noite para que a minha história também seja escrita com um final feliz, e tal qual aqueles corajosos e impetuosos navegadores, minha nau me levará a um lugar de águas mansas e cristalinas, um novo mundo onde  acharei riquezas, encontrarei ouro e especiarias que certamente darão  a minha vida um novo e melhor valor.