Quem sou eu

Minha foto
Em 2009 fui diagnosticado com uma doença do neurônio motor (DNM) Trata-se de uma doença neuromuscular, progressiva, degenerativa e sem cura. Mesmo assim insisto que vale a pena viver e lutar para que pesquisas, tratamentos paliativos, novos tratamentos cheguem ao Brasil no tempo + breve possível, alem do respeito no cumprimento dos nossos direitos. .

15 de set de 2011

Abasteça seu "tanque emocional" com sonhos, palavras e ações.

                                                                                                                                                                                                                                                                                              Por



                                                                                                                     Por Antonio Jorge de Melo

Diz a história que o Rei Salomão certa vez escreveu que “a vida e a morte estão no poder das palavras". As ciências que estudam a psique humana afirmam sobejamente que uma postura positiva e otimista em relação a vida e os conflitos do dia a dia preservam a saúde e diminui o risco de certas doenças, ou a evolução das mesmas.
Bom, não é tão fácil assim, é preciso alimentar o otimismo e o positivismo, assim como se abastece um carro para uma viagem. Uma maneira que encontrei para abastecer o meu  tanque motivacional  é acreditar que alguma coisa surgirá a qualquer momento que vai revolucionar o tratamento das doenças neuromusculares, particularmente a ELA, através da terapia com células-tronco.
Assim,  acompanhando e analisando o processo de desenvolvimento das pesquisas com células-tronco no Brasil, me deparei com as declarações feitas em diversas  entrevistas  pela Geneticista   Lygia Pereira da Silva, que conseguiu criar pela primeira vez no Brasil uma linhagem de células-tronco  a partir de embriões congelados.
Esse grandioso feito da Drª Lygia colocou o Brasil no mesmo nível de alguns seletos países que também já detem esse domínio científico. Fiquei bastante impressionado com a dedicação e o empenho da  Drª Lygia na condução dessa e de outras pesquisas, ao mesmo tempo em que ela faz contundentes declarações que expõe a gestão das pesquisas com células-tronco no Brasil, no sentido de que falta agilidade e sobram entraves burocráticos,  comprometendo  o tempo e a produtividade na condução dessas pesquisas.
Para mim ficou evidente que temos aqui uma oportunidade de criar um movimento a nível nacional através de um abaixo assinado, onde se possa exigir das autoridades responsáveis uma mudança na política de gestão das pesquisas com células-tronco. Isso por sua vez se traduz em aumento da possibilidade de termos alguma opção de tratamento com células-tronco, a medida  que barreiras vão sendo eliminadas, nem que seja um tratamento de caráter experimental.
Desse desejo surgiu a oportunidade de elaborar o documento que será o abaixo assinado, totalmente baseado no pensamento e na visão dessa experiente cientista e pesquisadora. Para consolidação do mesmo, na próxima terça há uma possibilidade de nos encontrarmos com a Drª Lygia em S Paulo para falarmos sobre a viabilidade do movimento.
Mas o que fazer com um abaixo assinado voltado para questões tão exclusivas? Para isso, estaremos indo a Brasília no próximo dia 05/10, quando estaremos discutindo com a Dep Mara Gabrilli as alternativas para que esse documento possa lograr êxito na sua finalidade. Estaremos buscando entendimento junto a Frente Parlamentar do Congresso Nacional em Defesa das Pessoas com Deficiência, entre outras coisas. 
Portanto, queremos conclamar a todos os pacientes, cuidadores, familiares, profissionais da saúde e simpatizantes desse país para estarmos juntos na consolidação desse movimento. 
O dia é hoje, o momento é agora!