Quem sou eu

Minha foto
Em 2009 fui diagnosticado com uma doença do neurônio motor (DNM) Trata-se de uma doença neuromuscular, progressiva, degenerativa e sem cura. Mesmo assim insisto que vale a pena viver e lutar para que pesquisas, tratamentos paliativos, novos tratamentos cheguem ao Brasil no tempo + breve possível, alem do respeito no cumprimento dos nossos direitos. .

2 de nov de 2010

Injustiça Social

                                               

Dr Geraldo Nogueira

                                                                                                                          Como brasileiros vivemos em cidades construídas sem o planejamento ideal. Pessoas com dificuldade de locomoção, incluídos os obesos, os excessivamente altos e baixos, gestantes, idosos e pessoas com deficiência, vivem as dificuldades experimentadas por todo o grupo social (recessão econômica, falta de emprego, poluição, violência, mau funcionamento de órgãos públicos) e, além desses fatores, enfrentam a falta de acesso às edificações, às vias urbanas e aos meios de transporte. Buscando soluções individuais, pedem ajuda a parentes, pagam um acompanhante ou arriscam a própria integridade física andando pelas ruas por entre os carros ou se arrastando pelos degraus dos ônibus e das edificações. Quais são os culpados desse atraso social? Talvez a resposta seja: boa parte da sociedade tem responsabilidade por essa situação.
                                                                                                                                               Os governantes e administradores públicos por não implantarem uma política efetiva que risque do presente essa injustiça social. O Ministério da Educação e Cultura, as faculdades de arquitetura e “designers”, que formam especialistas para projetar somente para uma pequena parcela da população (pessoas de altura e força medianas), ao invés de projetarem para uma maior gama antropométrica. Os empresários e profissionais, mesmo quando conscientes das novas necessidades sociais, se acomodam nas formas antigas e na certeza da impunidade, insistindo no descumprimento de um mandamento legal. 
                                                                                                                                          As pessoas com dificuldade de locomoção cabe a busca dos direitos, inclusive se socorrendo do Poder Judiciário. E a este cabe responder às demandas que surgem da sociedade, para que alcancemos o “status” de país de justiça.  O momento é de ação responsável de cada individuo consciente que integra nossa sociedade, pois as transformações sociais não acontecem por fenômeno, mas pelo efetivo empenho humano.

Dr Geraldo Nogueira é Presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência da OAB