Quem sou eu

Minha foto
Em 2009 fui diagnosticado com uma doença do neurônio motor (DNM) Trata-se de uma doença neuromuscular, progressiva, degenerativa e sem cura. Mesmo assim insisto que vale a pena viver e lutar para que pesquisas, tratamentos paliativos, novos tratamentos cheguem ao Brasil no tempo + breve possível, alem do respeito no cumprimento dos nossos direitos. .

17 de jun de 2012

SUPORTE NUTRICIONAL NA ESCLEROSE LATERAL AMIOTRÓFICA



            Por Cristina C. S. Salvioni
Nutricionista CRN3/26230

A Esclerose Lateral Amiotrófica é uma degenerativa, progressiva e irreversível doença neurológica que afeta neurônios motores. Entre os aspectos que comprometem o estado nutricional tem-se: disfagia, inapetência, alteração respiratória, fadiga e hipermetabolismo, com isso,  pacientes com ELA beneficiam-se de orientações alimentares específicas.

As alterações na motricidade oral dificulta a ingestão de alimentos sólidos e, na maioria dos casos, inviabiliza a ingestão de líquidos ralos. A exclusão alimentar restringe a ingestão calórica e proteica culminando em perda de peso corporal. Alteração do estado nutricional e a manutenção do peso corporal têm sido associadas como indicador prognóstico para a sobrevida para esses pacientes.

Dessa forma, o objetivo da terapia nutricional aplicada a ELA visa suprir as necessidades nutricionais em todos os estágios de evolução da doença, minimizar o catabolismo proteico, assegurar a alimentação oral e indicar suporte nutricional precoce.

A dieta orientada em conjunto com a fonoaudióloga é instituída para facilitar a deglutição, otimizar a ingestão nutricional e diminuir o risco de aspiração. A determinação da textura e da viscosidade dos alimentos deve se correlacionar ao grau de disfagia apresentado. A modulação alimentar é indicada para adequar o valor nutricional da dieta e assegurar a ingestão energética quando o consumo de determinados alimentos torna-se ineficiente.

Quando a ingestão alimentar por via oral torna-se incompatível com a demanda individual, há necessidade de via alternativa de alimentação que inclui sondas ou ostomias. Estudos realizados mostram que na ELA a indicação de gastrostomia endoscópica percutânea é soberana as demais formas de acesso ao trato digestório com finalidade de nutrição. Mesmo com via alternativa, a prescrição nutricional pode ser composta por dieta artesanal, industrializada ou mista dependendo da condição nutricional e econômica do indivíduo.

Por fim, ressalta-se a importância da necessidade de intervenção nutricional precoce e sistemática para a manutenção do estado nutricional, visto que o aspecto nutricional é fator prognóstico para a sobrevida nesses doentes.