Quem sou eu

Minha foto
Em 2009 fui diagnosticado com uma doença do neurônio motor (DNM) Trata-se de uma doença neuromuscular, progressiva, degenerativa e sem cura. Mesmo assim insisto que vale a pena viver e lutar para que pesquisas, tratamentos paliativos, novos tratamentos cheguem ao Brasil no tempo + breve possível, alem do respeito no cumprimento dos nossos direitos. .

31 de ago de 2014

Estudo da Mexiletina em ELA esporádica ainda está em curso


No Protocolo da pesquisa publicada no Clinical Trials estava
 previsto o encerramento inicialmente para junho/2014


Informações rápidas:
Status:
Em curso, mas não Recrutamento
Inscrição estimado:
60
Fase:
II
Tipo de tratamento:
oralmente disponíveis
Julgamento Tipo:
Randomizado, duplo-cego, placebo controlado
Patrocinador:
Universidade de Washington
Investigador Principal:
Michael D Weiss

    Notas de atualização:
    2014/08/08Não há atualizações significativas.
    2014/07/31Não há atualizações significativas
    2014/05/19Status de local de recrutamento atualizado
    2014/04/10Não há atualizações significativas.
    2014/04/04Status de Recrutamento atualizado.
    2014/03/18Estado de localização atualizado.
    2014/02/13Estado Recrutamento atualizado.
    2014/01/24Status de Recrutamento atualizada
    2014/01/02As informações de contato atualizadas.
    2013/12/17Informações atualizadas de contato; Status de local de recrutamento atualizado
    2013/11/26As informações de contato atualizadas
    2013/09/30Não há atualizações significativas
    2013/09/18Status de local de recrutamento atualizado
    2013/08/16Não há atualizações significativas
    2013/08/05Não há atualizações significativas
    2013/07/29Não há atualizações significativas.
    2013/07/25Nenhuma atualização significativa
    2013/07/16Não há atualizações significativas.
    2013/07/04Não há atualizações significativas.
    2013/06/28Protocolo Atualizado
    2013/05/29Nova localização acrescentou.
    2013/05/14Critérios de inclusão atualizados.
    2013/05/13Ensaio clínico acrescentou.
    Locais: (Locais disponíveis: 10)Recrutamento?
    Estados Unidos, MA, Boston, Massachusetts General HospitalNO
    Estados Unidos, TX, Dallas, University of Texas Southwestern Medical Center emNO
    Estados Unidos, PA, Hershey, Penn State Hershey Medical CenterNO
    Estados Unidos, IA, Iowa City, University of IowaNO
    Estados Unidos da América, KS, Kansas City, Universidade de Kansas Medical CenterNO
    Estados Unidos, CA, Los Angeles, UCLA, Centro de Pesquisa NeuromuscularNO
    Estados Unidos, MO, Saint Louis, Washington University Medical SchoolNO
    Estados Unidos, WA, Seattle, University of Washington Medical CenterNO
    Estados Unidos, Nova Iorque, Syracuse, SUNY Upstate Medical CenterNO
    Estados Unidos, MA, Worcester, da Universidade de Massachusetts (Worcester) MemorialNO
    Outras Informações:
    Objetivo:O objetivo da pesquisa é descobrir se mexiletine é segura e eficaz em pessoas com Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA). Neste estudo, os participantes irão tomar qualquer 300 miligramas por dia de mexiletine, 900 miligramas por dia de mexiletine ou placebo (medicamento de estudo não-ativa). A segurança e eficácia destas doses serão comparados para ver se uma dose é melhor do que o outro.
    Elegibilidade:18 anos ou mais, de ambos os sexos, com possível, provável ou definitiva diagnóstico ALS
    Detalhes:A esclerose lateral amiotrófica (ELA) é uma doença neurodegenerativa que afeta principalmente os neurônios motores, para que o tratamento projetado para retardar ou parar a progressão continua faltando. Mexiletina é um bloqueador do canal de sódio dependente de uso que tem sido aprovado pela FDA ao longo de décadas para o tratamento de arritmias cardíacas e, mais recentemente, para o tratamento de dor neuropática em polineuropatia diabética. Mexiletina foi mostrado também para ser protetor de neurónios a seguir medula espinhal, traumatismo craniano e isquémia cerebral, em grande parte, pelo bloqueio da excitotoxicidade. Com base em estudos anteriores, mexiletina aparece para penetrar no sistema nervoso central, em concentrações suficientes para conferir uma protecção significativa. Estudos recentes não publicados do laboratório do Dr. Robert Brown, da Universidade de Massachusetts, também têm demonstrado que a ingestão de mexiletina, em ratos geneticamente modificados para expressar elevados níveis de superóxido citosólica de cobre-zinco dismutase-1 (SOD1) transgene mutante prolonga a sobrevivência nestes animais. Como mexiletine já tem aprovação do FDA como um agente anti-arrítmico, se sabe muito sobre a farmacologia e segurança desta droga em pacientes não-ALS. Prevemos que, ao excluir indivíduos com uma história conhecida de doença cardíaca e com as propriedades neuroprotectores conhecidos desta medicação, mexiletine é uma boa escolha para um estudo mais aprofundado em um ensaio clínico ALS.
    Fonte: ALSTDI
    Tradutor Google
    Imagem meramente ilustrativa